Gestão

Economia da Experiência e o Varejo

Escrito por Gabriel Junqueira | 07/04/2020
  • 575 visualizações
  • 127 compartilhamentos
Tempo de leitura: 5 minutos

A ascensão da “economia da experiência” é uma grande mudança, mas qual é exatamente essa economia? Estamos vivendo no meio de uma transformação no varejo? Algumas pessoas pensam assim. E o que isso significa para os varejistas?

economia-da-experiencia-e-o-varejo

 

Simplificando, muitos dos compradores de hoje têm maior probabilidade de gastar dinheiro com experiências sobre coisas. 

E essa tendência vai continuar nos próximos anos. Embora os Millennials estejam liderando o processo, outras gerações estão seguindo essa tendência. 

Um estudo da McKinsey descobriu que os gastos dos consumidores nos EUA mudaram rapidamente nos últimos anos. Ou seja, os compradores de hoje dedicam, em média, 4 vezes mais dinheiro a experiências sobre mercadorias.

O que as pessoas estão comprando? Estamos gastando mais em ingressos para filmes, shows e parques de diversões, viagens, acomodações e refeições fora, para citar algumas áreas. 

Sim, nos preocupamos mais em ter boas experiências. Mas há outra motivação por trás de nossos comportamentos de compra, e é impulsionada pelas mídias sociais. 

Alguns varejistas estão capitalizando o desejo do consumidor por experiências. Alguns dos melhores exemplos são lojas experimentais que oferecem mais do que compras. 

Nessas lojas, os compradores podem atender às suas necessidades de aprendizado, crescimento e atenção personalizada. Mesmo se você não abrir uma loja experimental, poderá aplicar as mesmas ideias e criar uma experiência de destaque on-line.

O que aprender com as lojas experienciais?

Muitos varejistas veem as lojas experienciais como uma reação às reduções previstas nas compras físicas. 

Com o aumento do varejo digital, mais pessoas abandonarão as compras na loja para compras on-line. E os varejistas sabem que os clientes de hoje esperam cada vez mais comodidade e personalização, independentemente de como compram.

Sem dúvida, as lojas experienciais de hoje estão capitalizando a mudança do consumidor para comprar mais experiências do que produtos.

Embora as vendas sejam sempre importantes, construir boa vontade e cultivar boas lembranças trazem um valor de marca. 

Além disso, as marcas sabem que algumas pessoas entram nas lojas apenas para tirar uma foto e compartilhá-la nas mídias sociais. Lojas experienciais também atendem a essa necessidade. Por exemplo, a Nike encomendou um mural colorido para a loja de Los Angeles para se tornar um cenário icônico para as fotos do Instagram.

Os varejistas on-line podem replicar a premissa das lojas experienciais criando sites que os clientes desejam visitar. Uma maneira de fazer isso é se posicionar como uma marca útil, que realmente ofereça experiências personalizadas.

 

Como adotar a economia de experiência?

Não tenha dúvidas, a experiência de compras chegou para ficar. Claro, você nunca perderá o foco na promoção e venda de produtos. 

Porém, você precisa entender que criar experiências memoráveis ​​é o caminho para o sucesso.

Sua marca pode não estar em condições de abrir uma loja experimental que gera atenção. Ou talvez você não tenha presença física. Toda marca que tenha um site pode adotar conceitos experimentais.

Primeiro, observe que todos os conceitos experimentais de loja que discutimos têm uma coisa em comum. Todos eles se concentram na criação de conexões humanas com os clientes. 

A tecnologia tem seu papel, mas todo inovador experimental sabe que nenhuma tecnologia pode substituir um toque humano. Orientação e respostas personalizadas são essenciais para que os clientes tomem decisões de compra informadas e confiantes.

São 4 os pontos de maior atenção para uma experiência de compra no varejo:

Retailtaiment

Esse conceito é definido como o uso do som, do ambiente, das emoções e das atividades como uma forma de atrair clientes para comprar as mercadorias. 

Em resumo, os principais benefícios do Retailtaiment são:

  • Atrair mais clientes –  Por meio da publicidade e do boca-a-boca, a adição de experiências no varejo pode atrair mais pessoas, para parar e conferir a experiência. Quanto mais memoráveis ​​forem as experiências que você oferece, mais clientes desejarão experimentar. Os clientes que procuram apenas o entretenimento podem até fazer uma compra enquanto jogam, transformando-os em novos clientes.
  • Distingue você da concorrência –  Para se destacar nesse ambiente competitivo de varejo, são as experiências que farão toda a diferença. Proporcionar experiências interessantes e agradáveis ​​elevará sua loja acima de seus concorrentes e também proporcionará uma vantagem sobre as lojas on-line.
  • Incentiva os compradores a ficarem mais tempo –  Com coisas mais divertidas e interessantes para fazer em sua loja, os clientes provavelmente passarão mais tempo na sua loja. E quanto mais eles permanecerem na sua loja, mais oportunidades você terá para vender mais produtos.
  • Promove lealdade à marca –  As experiências de varejo mais bem-sucedidas transformam clientes em fãs e até embaixadores de sua marca, voltando para mais e promovendo sua marca a outras pessoas.

Frictionless Retail

Uma experiência sem atrito significa eliminar as barreiras na jornada de compra do consumidor, entregando uma experiência fluida ao cliente.

As aplicações do conceito dependerão do seu segmento. A aplicação do conceito em supermercados tem muita aderência encontrar os produtos desejados de maneira rápida e velocidade no pagamento. 

 

Personalização em Massa

Criar experiências personalizadas é outro ponto importante. Os consumidores querem relações pessoais, querem produtos feitos especialmente para atender suas necessidades particulares. 

A personalização pode ser trabalhada tanto por produtos quanto por promoções e mensagens segmentadas. 

Propósito e valores claros

O novo consumidor quer se  identificar com a identidade e a causa da empresa. Segundo Yuval Harari, autor do BestSeller Homo Sapiens, a busca pelo significado é uma das principais características da cultura atual. 

Para a nova geração a sustentabilidade e os valores são um dos fatores de decisão no momento da escolha da marca. Uma marca que não se preocupa com o meio ambiente e que não defenda causas como a igualdade, não são marcas a serem consumidas. 

Não perca vendas!

Você sabe que a tecnologia beneficia as lojas, mas como você pode melhorar sua experiência na loja? Como em qualquer estratégia de marketing, é uma boa ideia primeiro entender sua base de clientes e quais são seus desejos e necessidades. 

  • Quem é o meu cliente? Entenda o mercado-alvo e como suas preferências mudam e o que as diverte.
  • Qual solução agrada melhor ao meu cliente? Das muitas iniciativas viáveis, a selecionada deve atrair os clientes-alvo.
  • Quais tendências e conceitos posso aproveitar? As marcas não são avaliadas individualmente e, portanto, os profissionais de marketing devem considerar seus concorrentes e as tendências do setor.

Quando você souber o que seus clientes estão procurando, poderá ter ideias criativas que melhorarão sua loja, atrairão e entreterão seus clientes. Pense no que beneficiaria sua base de clientes-alvo.

Ao decidir sobre uma estratégia de varejo, considere seu próprio estilo de loja e linha de produtos. Considere as atividades e experiências da loja que fazem sentido com a estratégia da sua marca e os produtos que você oferece. 

Por exemplo, um supermercado pode considerar adicionar uma lanchonete para incentivar os clientes a ficar mais tempo. 

Além disso, as áreas de demonstração e as aulas de culinária podem entreter e exibir produtos selecionados que a loja deseja promover. 

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário.

Se tem dúvidas ou sugestões, nos envie pelo Fórum InfoVarejo!

Publicidade