InfoVarejo ACESSO RÁPIDO:
Legislação

Impressora não fiscal térmica: quais os tipos e como escolher

Escrito por Equipe InfoVarejo | 17/06/2019
  • 316 visualizações
  • 41 compartilhamentos

Impressora não fiscal térmica, você sabe por que vai precisar de uma? Certamente, você já ouviu falar sobre a NFC-e. Não? Com a implementação da NFC-e (Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica), os varejistas precisam se adequar a algumas mudanças no processo de emissão da nota. Uma das principais mudanças é em relação à impressora. Antes, na emissão de ECF, eram utilizadas impressoras fiscais. Contudo, agora, com a NFC-e, são exigidas impressoras não fiscais térmicas.

impressora-nao-fiscal-termica-quais-os-tipos-como-escolher

Assim, para te ajudar a entender e escolher a impressora não fiscal térmica que melhor atenderá seu PDV e seu estabelecimento, fizemos um passo a passo com todas as características e diferenças que você precisa saber.

Passo 1 – Entradas e saídas

Antes de tudo, ao escolher qual impressora não fiscal térmica utilizar em sua loja, tenha em mente qual o local do estabelecimento ela ficará. Além disso, confira as saídas do seu computador e qual é interessante e viável que sua impressora tenha. Evite gastos desnecessários com equipamentos extras.

Atualmente, existem no mercado 3 tipos de interface de comunicação, USB, SERIAL e ETHERNET. Alguns modelos de impressoras não fiscais térmicas possuem duas saídas, mas não são todas. Fique atento a qual modelo melhor atenderá sua loja.

Normalmente, no caixa, a saída mais indicada é a USB, uma vez que a conexão se dá diretamente no computador. Porém, se você for utilizar a impressora não fiscal térmica como uma impressora de cozinha, por exemplo, que receberá os pedidos de um computador distante, a comunicação será feita via rede, o mais aconselhável seria uma impressora com saída ethernet.

Passo 2 – Velocidade

A velocidade também é um ponto muito importante a se analisar. A velocidade das impressoras não fiscais térmicas varia de 150mm/seg a 300mm/seg. Pode não parecer muito, mas pense em uma situação concreta do dia a dia.

Imagine seu frente de caixa atendendo um cliente e a fila do PDV cheia. A principal da impressora não fiscal térmica é fornecer a NFC-e no momento de finalizar a compra. Isso faz com que seja necessário um tempo curto para emitir as notas, evitando filas no PDV da sua loja e evitando atritos para o consumidor.

Passo 3 – Tamanho

As impressoras não fiscais térmicas não se diferem em relação ao tamanho quanto ao espaço ocupado no PDV, todas possuem, praticamente, o mesmo tamanho. Porém, elas se diferem em relação a quantidade de caracteres dispostos em cada linha da NFC-e impressa.

Podendo variar entre 24 e 64 caracteres por linha, isso pode trazer uma economia significativa quando visto o montante de notas tiradas em um tempo maior. Quanto mais caracteres dispostos por linha, menos papel com impressão você gastará.

Algumas impressoras mão fiscais térmicas possuem uma configuração que reduz a quantidade de papel utilizado na emissão das NFC-e’s, utilizando cerca de dois terços do tamanho de uma nota comum.

Passo 4 – Homologação das impressoras

Durante a implementação da impressora não fiscal térmica, é fundamental que sua impressora seja homologada, para isso, é indispensável que sua software house esteja envolvida nesse processo.

A não homologação das impressoras não fiscais térmicas pode acarretar algumas consequências futuras ou imediatas para sua loja. Uma delas é o risco do não funcionamento da impressora. Já imaginou ficar com um caixa parado caso sua impressora não funcione? Esse processo acaba gerando prejuízos para sua loja, dado que um caixa ficará fechado e envolve custos referentes ao conserto da impressora.

Caso você faça a compra e a instalação das impressoras não fiscais térmicas com uma software house, seu estabelecimento receberá uma garantia sobre as impressoras, além dessa ficar responsável pela homologação das impressoras não fiscais. Dependendo da marca e do modelo da impressora, a software house dá aos estabelecimentos uma garantia de até 36 meses.

Clique aqui e veja tudo que você precisa saber na hora de escolher um software emissor de NFC-e.

Passo 5 – Operação

A adoção da impressora não fiscal térmica não significa apenas colocá-la no PDV, são necessários alguns processos, às vezes diários, que podem contribuir para a conservação da mesma.

Durante o uso da impressora não fiscal faz-se necessário, por exemplo, a troca da cabeça de impressão. A operação diária e o transporte do equipamento serão feitos pelo seu operador de caixa. Dessa forma, é importante que você procure um modelo que facilite a atividade do colaborador.

Tópico Bônus – Reaproveitamento de impressoras

De acordo com a SEFAZ , a implementação da NFC-e exige uma impressora não fiscal térmica. A impressora não fiscal difere em alguns aspectos da impressora fiscal, dessa forma, se faz necessária, a troca das impressoras. O reaproveitamento é tecnicamente e financeiramente um processo inviável.

Caso você reaproveite a impressora fiscal, a máquina não terá garantia e os gastos se tornarão maiores. Com uma um bom fornecedor de equipamentos software house você pode ter uma garantia de até 36 meses.

Conclusão

É muito importante que você siga os 5 passos ao definir qual impressora não fiscal térmica utilizar em seu estabelecimento. Lembre-se que a impressora não fiscal é uma das partes mais importantes no seu PDV. Além de otimizar o tempo gasto no fechamento da compra, também garante a melhor satisfação dos seus clientes.

Verifique se a impressora escolhida já está homologada com seu software PDV. Sempre entre em contato com sua software house antes de fazer sua escolha, não corra o risco de aumentar o custo da sua loja sem necessidade.

Ao término do prazo de encerramento da impressora fiscal, a SEFAZ faz, automaticamente, o cancelamento de todas as ECFs que não cumpriram o prazo. Fique atento aos prazos para a implementação da impressora não fiscal. Caso o Governo faça a cessação, embora não tenha nada previsto no Decreto, pode existir alguma sanção feita pelo FISCO..

É importante que você fique atento ao prazo para a mudança, não deixe para fazer a migração para a impressora não fiscal na última hora. Pode ser que você tenha algum imprevisto durante a migração, fazendo com antecedência você terá tempo e não precisará ficar com a loja parada.

Quais as características que a impressora não fiscal precisa ter na sua loja?

No seu estabelecimento, você já escolheu qual impressora não fiscal utilizar?

Clique aqui e veja como implementar a NFC-e na sua loja!

Gostou desse artigo? Compartilhe com os profissionais responsáveis pela emissão de notas em sua empresa.

Patrocinado: