InfoVarejo ACESSO RÁPIDO:
Gestão

Conheça as 4 dicas para reduzir custos no varejo!

Escrito por Gabriel Junqueira | 18/07/2016
  • 1106 visualizações
  • 142 compartilhamentos

O comércio varejista está entre os principais setores da economia nacional, movimentando bilhões. Contudo, vem sendo diretamente impactado pelos efeitos da crise. Algumas empresas foram fechadas, colaboradores demitidos, a produtividade reduzida, entre tantos outros sinais que reforçam a ideia de que o momento não é dos melhores e que é hora de reduzir custos no varejo.

Conheça 4 dicas para reduzir custos no varejo!

Por outro lado, pode ser na turbulência que excelentes oportunidades de negócio surgem ou que seja possível se manter competitivo no mercado pela adoção de soluções que possam reduzir custos no varejo (de produção e operação) — considerados os gargalos dentro de uma empresa.

Mas como manter a eficiência produtiva e mesmo assim reduzir custos no varejo? Neste post vamos dar algumas dicas que vão ajudar o seu comércio varejista a driblar a crise e sustentar as margens pela redução dos gastos de operação. Preparado? Vamos lá!

1. Estabeleça um bom planejamento para reduzir custos no varejo

Antes de qualquer ação de redução ou mesmo eliminação de determinado gasto, é preciso reconhecer se realmente esta despesa não vai impactar na geração de receitas.

Muitos empreendedores acabam aplicando estratégias de redução de custos de forma equivocada, como por exemplo, estabelecer uma meta de redução de custos igual para todos os departamentos. Essa prática tem sérios riscos, pois você pode acabar penalizando departamentos já enxutos, ou que estão trazendo bons retornos para a empresa, enquanto outros poderiam ter cortes maiores.

Por isso, cortar custos é importante, mas é essencial ter uma visão estratégica e que não envolva o desempenho de projetos prioritários para o crescimento da empresa.

2. Analise e identifique os gastos que podem ser reduzidos

É preciso tomar muito cuidado no processo de corte de custos, uma vez que a ideia é cortar todos os gastos desnecessários e não sacrificar a eficiência produtiva e a margem de lucro.

Saber o que cortar é o primeiro passo para uma gestão eficiente de gastos. As despesas podem ser cortadas em vários setores da empresa, desde um orçamento controlado durante uma obra, até usando uma requisição para o consumo interno, porém, elencamos as duas principais áreas nas quais os varejistas estão tendo sucesso com a redução de custos.

Energia elétrica

No varejo, a despesa com energia elétrica deve ser cuidadosamente analisada, uma vez que corresponde a um valor relevante perante a margem de lucro. É possível encontrar alternativas viáveis para a sua redução.

O primeiro passo é entender de onde está vindo o custo de energia. Liste todos os equipamentos da loja, desde refrigeradores à balanças de pesagem de produtos e servidores, e faça uma relação do seu consumo mensal.

O segundo passo é estudar as alternativas para redução do consumo da energia. As principais iniciativas são substituir refrigeradores por modelos mais modernos, projeto de iluminação 100% com lâmpadas LED na área da loja e conscientização dos colaboradores da empresa.

Várias iniciativas envolvem um investimento inicial. No entanto, ao projetar esse investimento com a economia da despesa mensal, constatamos que vale a pena. Uma alternativa interessante é procurar empresas que elaboram projetos de redução do consumo de energia, pois elas bancam o investimento inicial e cobram do estabelecimento um aluguel mensal.

Escritório

A redução de custo na operação da loja é um desafio, pelo risco de comprometer o atendimento ao cliente final. No escritório a conta é bem mais fácil de se fazer.

A maior despesa no escritório é a folha de pagamento. Por isso, fique atento à produtividade de cada colaborador. Atividades que envolvem tarefas repetidas devem ser repensadas, buscando formas de automatizá-las. Trabalhar com um sistema de gestão (ERP) específico para o varejo é fundamental para alcançar esse objetivo.

Outro ponto de atenção é o pagamento correto dos impostos. O varejo lida, diariamente, com uma grande movimentação de mercadorias. Lidar com os impostos, além de muito complicado, é oneroso. Por falta de organização ou de conhecimento profundo da legislação, muitos varejistas acabam pagando mais impostos do que deveriam. Nesse sentido, uma maior aproximação com o seu contador e a utilização de um sistema de gestão que facilite a rotina do escritório são fundamentais.

Existem ferramentas que realizam a validação tributária do cadastro de produtos da loja, dando ao empresário a certeza que ele não está pagando impostos a maior. Veja nesse artigo mais informações sobre essas ferramentas.

Outras despesas de escritório, apesar de representar pequenas quantias separadamente, podem representar um valor considerável no final do mês:

  • Contas de telefone;
  • Material de escritório;
  • Serviços bancários – taxas, multas e juros.

 

Com bom planejamento, os varejistas podem analisar e identificar a redução de alguns serviços sem alterar áreas prioritárias, uma vez que implicaria em menores receitas. Além disso, algumas áreas que já atuam com orçamento apertado podem ser comprometidas.

Mapear os gastos e estabelecer estratégias de corte com base no que realmente é possível reduzir ou eliminar são os passos essenciais na gestão de uma empresa.

3. Tenha metas de redução de custos

Aliado a um bom planejamento está o estabelecimento de metas que possam auxiliar os gestores a compreender melhor os custos que envolvem a produção e a conscientizar os colaboradores sobre a importância da economia dos recursos da empresa e a prevenção de perdas.

Para cada natureza de despesa, é imprescindível que o empresário entenda a sua origem e o seu significado no orçamento. A possibilidade de reduzi-la ou mesmo eliminá-la deverá ser realizada de forma consciente com o objetivo de ajudar a equilibrar o desempenho.

A dica é que, para cada meta estabelecida, seja elaborado um plano a ser seguido à risca. De nada adianta tê-lo apenas no papel. Todos os colaboradores precisam estar envolvidos na sua execução.

4. Fique de olho no estoque

Já diz o ditado: “Estoque parado; dinheiro parado.” Em muitas lojas é comum encontrar itens encalhados ou com baixa rotatividade. É preciso que o gestor implemente uma política de redução de perdas alinhada ao estoque e ao setor de compras.

Os recursos financeiros aplicados em um produto que não tem giro fazem com que a empresa perca dinheiro. Além disso, podem trazer gastos desnecessários com o armazenamento e até a perda da mercadoria pela deterioração. É preciso planejar as compras de acordo com as vendas, de forma que haja um equilíbrio no que está sendo estocado.

Gerenciar o estoque é o coração da operação do varejo, por isso, a boa gestão de estoque é fundamental para a sustentabilidade dos resultados. Controlar perdas, roubos, rupturas, trocas e desperdícios trazem um resultado muito relevante no final do mês, chegando a até dobrar a espremida margem de lucro da loja.

Com estas dicas você pode reduzir, e muito, os custos do seu negócio. Aumentando a margem e a lucratividade de sua loja!

Manter um cadastro de produtos atualizado e correto é uma das soluções para evitar as perdas no estoque e assim reduzir custos no varejo. Baixe gratuitamente nosso Guia do cadastro de produtos para supermercados. 

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos varejistas.

Ficou com alguma dúvida sobre como reduzir custos no varejo? Mande um e-mail para contato@infovarejo.com.br

Publicidade