3% de vendas perdidas com cartões

Essas perdas ocorrem devido a problemas na conciliação de pagamentos. Ao ano, o prejuízo com vendas perdidas com cartões pode alcançar R$ 12,8 bilhões.

3% de vendas perdidas com cartões

 

Crédito ou débito? Essa pergunta, repetida centenas de vezes ao dia em supermercados de todo o Brasil, simboliza o momento final da compra. Mas nem tudo está resolvido quando a transação é aprovada e o cliente retira o cartão da máquina de pagamento.

Depois disso, o supermercado precisa certificar-se de que todos os valores vendidos foram creditados em conta, descontadas apenas as taxas realmente acordadas com as empresas adquirentes. Essa verificação é a chamada conciliação das vendas no cartão, um trabalho fundamental, mas para o qual muitos varejistas ainda não dão a devida importância.

Estima-se que 3% da receita mensal do varejo pode ser perdida por equívocos e falhas nos sistemas das operadoras de cartões, de acordo com informações da Concil, empresa especializada em conciliação contábil e de cartão.

Isso significa que, em um ano, o autosserviço alimentar perde em torno de R$ 12,8 bilhões. Leonardo Campelo, CEO e fundador da Concil, conta que o principal erro é justamente não conciliar.

“Ouvimos muitos varejistas com o discurso de que confiam nas adquirentes e, por isso, não enxergam a necessidade de fazer a conciliação. Nós costumamos dizer que também acreditamos nas adquirentes, afinal, elas não erram propositalmente, como muitos acreditam. Os erros acontecem pela complexidade do processamento”, afirma.

Nada menos do que 78% dos varejistas clientes da Concil encontram divergências em taxas administrativas quando iniciam um processo de conciliação. É muito dinheiro desperdiçado. E os problemas não se resumem à cobrança diferente daquelas acordadas.

Acesse gratuitamente o e-book sobre conciliação de cartões e acabe com todas suas dúvidas.

Taxas negociadas e não revisadas 

Em muitos casos, essas taxas foram definidas há tanto tempo, que o supermercado (por desorganização) sequer se lembra do percentual exato descontado a cada transação ou confunde a taxa cobrada por uma adquirente com a de outra. Em outras palavras, trabalha com uma estimativa e, na prática, tem um valor maior descontado, sem que isso seja um erro.

Ocorrem também casos em que a loja contratou, lá atrás, serviços como a antecipação de recebíveis e jamais o cancelou. Com isso, continua pagando mesmo não precisando mais receber antes do prazo. Em um setor com margens tão apertadas, todas essas situações causam forte impacto nos resultados.

Dado o volume de vendas realizado em cartão por qualquer supermercado, o ideal é que se automatize o processo para obter uma conciliação confiável e que realmente ajude a estancar os erros e prejuízos. Para isso, há diversos sistemas disponíveis no mercado.

A Concil é uma das empresas que prestam esse serviço. Sua solução de conciliação de cartão, que pode ser contratada remotamente, automatiza todo o processo, validando as vendas feitas com cartão, os pagamentos realizados pelas adquirentes e os recebimentos bancários.

O sistema que realiza a conciliação de cartões recebe as informações financeiras disponibilizadas pela adquirente e reporta para a plataforma diariamente ou, no máximo, a cada dois dias. O próprio sistema aplica as taxas e calcula o valor correto a ser recebido.

Facilidade de encontrar divergências 

Com isso, é mais fácil identificar divergências e descobrir situações como cancelamentos não informados e até fraudes, comuns principalmente nas vendas online. A rastreabilidade da venda é feita de forma rápida e detalhada. O cliente recebe login e senha para ter acesso às informações via web e também mobile, por meio do aplicativo.

Informações que precisariam ser buscadas em meio a um grande relatório consolidado no portal da empresa adquirente passam a ser oferecidas de forma clara, podendo ser acessadas pelo supermercadista de qualquer lugar.

Conciliador combate as vendas perdidas com cartões rapidamente

O CEO da Concil afirma que, já no primeiro mês, cerca de 90% dos problemas são resolvidos.

Mesmo assim, recomenda-se manter o sistema de conciliação, já que, segundo a empresa, há um razoável índice de reincidência nas divergências de taxa, podendo ocorrer ao menos uma vez a cada três meses. “Em 99% dos casos de problemas identificados, a adquirente reconhece o erro”, diz.

Benefícios vão além do controle de riscos

Mais do que conferir se os pagamentos estão sendo feitos corretamente, a conciliação automatizada permite uma verdadeira gestão financeira das vendas por meio de cartões, uma vez que os relatórios gerados possibilitam que o supermercado analise melhor o perfil das vendas pagas em cartão de débito e crédito.

Fica mais simples, por exemplo: escolher qual máquina privilegiar de acordo com as taxas cobradas por cada adquirente; definir metas para vendas em débito e crédito; observar se as opções de parcelamento oferecidas são realmente vantajosas, além, é claro, de verificar quais taxas precisam ser renegociadas.

No fim das contas, uma boa conciliação traz oportunidades de elevar as margens do supermercado.

Temos um material exclusivo com todas as informações sobre o conciliador de cartões, baixe gratuitamente.

Artigo original publicado no site do SUPERMERCADO MODERNO.

Link do artigo original.

Gostou do artigo? Deixe sua opinião sobre as alternativas para evitar as vendas perdidas com cartões.

Ficou com alguma dúvida sobre a solução para acabar com as vendas perdidas com cartões? Mande um e-mail para contato@infovarejo.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apoiadores do InfoVarejo

{"slides_column":"4","slides_scroll":"1","dots":"false","arrows":"true","autoplay":"true","autoplay_interval":"2000","loop":"true","rtl":"false","speed":"1000","center_mode":"false"}