Gestão

Como reduzir custos na venda de cartão na sua loja

Escrito por Gabriel Junqueira | 24/07/2017
  • 855 visualizações
  • 186 compartilhamentos

Hoje em dia é impossível pensar em uma loja que não aceite pagamento em cartão não é mesmo? Muitos consumidores já adotam essa forma de pagamento, inclusive, para compras pequenas como o pãozinho da manhã, ou o café no final da tarde. Para o varejista a venda de cartão deixou de ser diferencial e se tornou obrigatório.

Como reduzir custos na venda de cartão na sua loja
Nesse artigo vamos apresentar algumas dicas para reduzir custos na venda de cartão. Se você ainda não está convencido de que aceitar cartão é uma boa, veja nesse artigo, as vantagens em aceitar cartões em sua loja.

Como reduzir custos?

1. Entender quanto custa a operação da venda de cartão.

Para aceitar cartões em sua loja será preciso, no mínimo, de uma maquininha (POS). Para isso você precisa contratar junto a uma operadora de cartão de crédito ou, num termo mais técnico, com uma adquirente ou subadquirente.

A operadora recebe por meio das taxas e as tarifas cobradas. No momento do contrato do serviço será estipulado uma taxa (%) sobre as vendas de cartão e a taxa de aluguel da maquininha. Outras tarifas são cobradas, por exemplo: juros para antecipação das vendas.

Então, a primeira regra é entender todos esses custos e comparar entre as operadoras.

 

2. Negociar

Essa parte o varejista faz bem! A negociação está na veia do comerciante. Então deixo apenas duas dicas:

a) A taxa (%) sobre as vendas é o principal custo na venda de cartão. Então o varejista deve ficar atento e negociar a melhor taxa, pois cada 0,1% sobre as vendas corresponde a muito dinheiro no final do mês. E como sabemos, no varejo, margem é espremida, portanto, a luta deve ser por cada decimal!

b) Pode parecer um paradoxo, mas a segunda dica é não ficar só focado na taxa sobre a venda e esquecer das outras cobranças. É fundamental colocar na conta a taxa de aluguel da máquina, as tarifas de antecipação e outros serviços.

Inclusive, algumas operadoras, vinculadas a bancos, obrigam o contratante a manter uma conta corrente neste banco, e com isso, gerando, mais uma taxa para ser paga.

3. Conciliar suas vendas de cartão

O volume das vendas de cartão pode representar grande parte do faturamento da loja, portanto é fundamental ter certeza que você está recebendo tudo que está vendendo.

Não adianta negociar a melhor taxa, se não acontecer um controle sobre os recebimentos da sua loja. “Falhas” de cobranças podem acontecer e custam caro para sua loja.

Fazer a conciliação das vendas é importante para administrar os seus recebimentos. Atualmente existem ferramentas que automatizam esse processo e dão tranquilidade ao varejista sobre o que está recebendo da operadora de cartões.

Para saber tudo sobre conciliação de cartões fizemos um e-book gratuito, acesse nesse link. 

4. TEF

Se sua loja possui internet, um software de PDV e realiza as vendas no caixa, vale a pena contar o TEF, mesmo que ele tenha um custo de contratação, será um importante aliado para sua loja.

Mas como o TEF ajuda sua loja a reduzir custos? Basicamente:

a) Com o TEF você pode utilizar várias operadoras, utilizando a melhor taxa para cada bandeira; Ou seja, seu poder de negociação ganhará força!

b) Você pode reduzir o número de maquininhas POS na loja, economizando no aluguel;

c) A conferência das vendas fica mais fácil, basta tirar um relatório do sistema.

d) Elimina erros no ato de digitar o valor da venda – acontece mais do que você imagina!

e) Evita fraudes como substituição do POS por um POS de terceiros.

Para saber mais sobre o TEF confira esses artigos: O que é o TEF? E também Vantagens e Desvantagens do TEF.

Investir em tecnologia é apostar em bons resultados

No varejo qualquer centavo pode representar uma grande diferença na hora de fechar mês com um fluxo de caixa favorável. Trabalha-se com margens apertadas e os resultados positivos dependem diretamente do controle das despesas.

Cada 0,1% é representativo para obter lucro, investir em tecnologia, por meio de novas ferramentas como o TEF, conciliador de cartões e um sistema ERP, sai mais barato do que fazer todo esse trabalho de forma manual e demorada.

Essas tecnologias automatizam os processos, evitando erros, fraudes e cobranças indevidas, e agilizam o trabalho do seu time de colaboradores.

Gostou do artigo? Deixe sua opinião, ela é importante para a gente.

Ficou com alguma dúvida? Mande para contato@infovarejo.com.br

Patrocinado: