fbpx
Gestão

Inovação e Transformação no varejo, quais são as tendências?  

Escrito por Gabriel Junqueira | 22/12/2020
  • 958 visualizações
  • 114 compartilhamentos
Tempo de leitura: 6 minutos

Como sempre, com um novo ano, surgem novas tendências no mundo do varejo e do comércio eletrônico.

Nos últimos anos, temos sido bombardeados com todos os tipos de cenários futuristas sobre o que está por vir no varejo e o que a inovação no varejo pode significar. 

Inovação-e-Transformação-no-varejo,-quais-são-as-tendências

São amplos os projetos de automação, transformação digital e inovação no varejo. Os varejistas lidam com alta competição, pressão de preços, um consumidor conectado com grandes expectativas e o impacto do comércio eletrônico, pelo qual alguns dos gigantes globais – também da China – já iniciam operações no Brasil (e o comércio eletrônico não tem fronteiras).

A inovação no varejo está ocorrendo em várias frentes e com diferentes ferramentas e tecnologias. Inteligência artificial (AI), Bigdata, IoT (internet das coisas), omnicanalidade, realidade aumentada, realidade virtual, robótica são algumas das áreas que estão mais crescendo e trazendo soluções para o segmento.

No entanto, é importante notar que inovação não significa necessariamente criar algo novo. Inovar é sobre resolver problemas reais. Inovar pode significar fazer menos, ou reduzir atrito, ou melhorar a experiência do seu cliente na sua loja. 

O varejista não precisa ir longe, não precisa contar com a tecnologia mais atual para inovar, na maioria das vezes, a inovação está muito mais próxima do que ele imagina. 

Para isso, é importante que se faça as perguntas certas sobre o seu negócio. 

Inovação no varejo: as perguntas a fazer

Qual é o maior problema do meu negócio? Qual é a visão do meu cliente em minha loja? Como eu transformo e melhoro a experiência deste cliente na loja? Como eu atendo melhor e com mais resultado meus clientes? Quais são os principais gargalos da minha operação? Quais são os desafios de crescimento da empresa? Como meus concorrentes estão lidando com a transformação digital? Qual é a estratégia de transformação digital da nossa loja?

Perguntas simples que você pode fazer antes de começar a inovar e investir em alguma solução:

  • Você está focado no propósito da sua loja? 
  • Qual valor isso agregará para o resultado da loja ou experiência do cliente? 
  • Quem será o beneficiário da inovação (pense amplo; funcionários, clientes, fornecedores de gerentes de loja, …) ?
  • Como você medirá o sucesso de sua inovação no varejo? (e isso, é claro, com metas e métricas)

Novamente, é simples, mas útil lembrar:

  • Comece com as inovações que são necessárias para permanecer relevante para seu cliente, lucrativo e nos negócios;
  • Em seguida (ou ao mesmo tempo), olhe para as inovações de varejo onde pequenas coisas provam fazer uma grande diferença;
  • Mantenha a experiência de compra e a experiência geral do cliente em mente, pois é aí que a diferença pode ser feita;
  • Inove com o ecossistema do qual você faz parte como varejista.

 

 

Criando hipóteses e entendendo erros

Com a transformação digital tem-se a possibilidade de realizar-se experimentos em baixa escala. Ou seja, você pode testar ações e iniciativas em pequenas proporções e se essa iniciativa falhar, você falha pequeno e rápido. Mas se a ação der certo, você pode investir mais. 

No dia a dia de uma empresa as coisas estão muito mais ligadas a tentativa e erro do que a um grande planejamento já com o resultado final. Então, você precisa definir hipóteses, criar protótipos, testar e só assim concluir e colocar em prática. 

Naturalmente, para que isso aconteça, você precisa ter uma cultura digital aberta ao erro.  Quanto mais tentativas e inovações, mais erros. Mas sempre lembrando que erra-se pequeno e barato com transformação digital. 

Tendências para o varejo em 2020

Durante o artigo vimos que a Inovação do setor varejista é essencial para um negócio próspero durante os próximos anos. 

Para ajudá-lo a desenvolver uma estratégia consistente, abrangente e inovadora para o seu negócio, vamos examinar mais de perto algumas das últimas tendências do varejo para 2020:

Tendência de varejo nº 1: entrega no mesmo dia (ou mais rápida)

Não seria uma comparação de tendências de varejo sem mencionar o cumprimento, especialmente quando as vendas da Amazon, pioneira em entregas no mesmo dia, estão mais altas do que nunca. 

Parece que as expectativas do cliente em relação ao tempo de envio estão ficando cada vez mais rápidas. Primeiro veio 2 dias com a ascensão do Amazon Prime, depois no dia seguinte e no mesmo dia. E as grandes lojas estão seguindo os passos da Amazon. 

Na era da gratificação instantânea, os clientes querem seus pedidos o mais rápido possível. E os pedidos atendidos na loja no mesmo dia estão tendo mais tração de clientes e marcas. A PwC relata que 88% dos consumidores estão dispostos a pagar pela entrega no mesmo dia ou mais rápida. Do Prime Air da Amazon – que usa tecnologia drone para entregar os pedidos dos clientes em 30 minutos ou menos – ao surgimento de startups de robôs de entrega, a entrega está cada vez mais rápida. 

Tendência de varejo nº 2: comércio social

O aumento nas compras online deste ano veio para ficar, especialmente devido aos obstáculos apresentados pela pandemia de COVID-19 e o fechamento de lojas físicas. De acordo com um estudo recente, em 2020, quase 41% dos clientes disseram que estavam comprando on-line coisas que normalmente comprariam na loja.

O comércio social – experiências de compra nativas em uma plataforma de mídia social – oferece aos compradores uma maneira ainda mais perfeita de fazer compras online. Em vez de clicar em um site de terceiros, os usuários podem fazer compras diretamente do aplicativo ou site de mídia social.

E o comércio social está em alta. Só em 2020, vimos uma parceria entre o TikTok e o Shopify, uma expansão das lojas nativas do Snapchat para marcas e a introdução das lojas do Facebook.

As lojas são vitrines personalizadas para empresas no Instagram e no Facebook. Os vendedores podem criar coleções de produtos apresentados, bem como modificar a aparência de sua loja com banners, imagens, cores e botões. A mesma loja pode ser acessada no Facebook e no Instagram, então, uma vez configurada, os vendedores têm o potencial de atingir um amplo público global em duas plataformas. 

Tendência de varejo nº 3: uma nova abordagem para o marketing de influência

O marketing de influenciadores costumava envolver selfies, legendas cuidadosamente construídas e fotos de produtos altamente editadas. Mas em 2020, vimos uma grande mudança na forma como marcas e influenciadores trabalham juntos. O conteúdo do influenciador mudou lentamente para uma estética real e crua, e essa mudança continuará em 2021.

O público confia em marcas que exibem vozes autênticas, e os usuários mais experientes de hoje podem identificar um anúncio excessivamente produzido a uma milha de distância. As marcas que não priorizam a autenticidade em suas parcerias com influenciadores podem dar adeus ao alto envolvimento e ROI no próximo ano. É hora de focar no conteúdo de um influenciador exclusivo que prioriza educação, entretenimento e a experiência do espectador.

De uma perspectiva de mix de mídia, o vídeo será o meio mais importante de 2021 para parcerias com influenciadores. Com muitas lojas físicas fechadas, os compradores não podem experimentar roupas ou testar gadgets na loja – e um vídeo é a segunda melhor opção.

Na verdade, as marcas já começaram a fazer parceria com influenciadores para criar e compartilhar conteúdo no IGTV, Instagram Live, TikTok e Instagram Reels para construir e fomentar comunidades digitais. 

Tendência de varejo nº 4: Live Commerce como novo modelo de compra

Assim como as compras online transformaram o varejo há vinte anos, o Live Commerce promete transformar o comércio eletrônico hoje. 

Live Commerce é uma modalidade que combina streaming de vídeo ao vivo com a capacidade dos compradores interagirem com os vendedores e comprar imediatamente, seja um produto durante uma transmissão ou recebendo suporte e visibilidade de um influencer ou de uma comunidade social. 

Os benefícios, em comparação com os canais de compra tradicionais e e-commerce, continuam a ser comprovados com casos de uso em todo o mundo. Por exemplo, AliExpress, uma subsidiária da Alibaba, lançou um serviço de Live Commerce chamado ‘AliExpress LIVE’, que viu até 320.000 produtos sendo adicionados ao carrinho por milhão de visualizações durante uma única sessão de streaming ao vivo. Essas conversões incríveis são as razões pelas quais muitas empresas estão migrando para o Live Commerce.

Essa convergência de vídeo e compras ajuda a melhorar o engajamento, diminuir a lacuna entre o cliente e o produto, impulsionar as vendas e aumentar o preço médio de venda. 

 

 

Tendência do varejo nº 5: Marcas éticas e baseadas em valores em ascensão

Transparência, valores e ética nunca foram tão importantes para os compradores – o que significa que as marcas precisam priorizá-los o mais rápido possível. 

71% dos consumidores preferem comprar de marcas que se alinham com seus valores. Os clientes estão avaliando cada vez mais produtos e marcas com base na ética e nos valores de uma empresa.

Parcerias estratégicas são o ponto de partida

As parcerias estratégicas serão fundamentais para superar uma ampla variedade de desafios de varejo inovador e omnichannel no próximo ano. Procure uma organização que tenha conhecimento essencial de recursos de software, como análises e integração de sistemas, bem como profundo conhecimento em cadeia de suprimentos. Em 2020, os varejistas não podem agir sozinhos. 

Comprar não é mais apenas sobre os produtos, é sobre a experiência. Os consumidores desejam experiências ininterruptas que se estendam perfeitamente por todos os canais. Eles esperam facilidade, serviço e personalização. Neste cenário, não é mais o comprador que deve se precaver, é o vendedor. 

Gostou desse artigo? Compartilhe com o pessoal da sua loja e leve esse conhecimento para todos.

Se tem dúvidas ou sugestões, nos envie pelo Fórum Infovarejo!

Publicidade