fbpx
Gestão

Varejo e Sustentabilidade

Escrito por Gabriel Junqueira | 15/10/2021
  • 618 visualizações
  • 58 compartilhamentos
Tempo de leitura: 6 minutos

O impulso em direção à sustentabilidade no varejo não é mais uma opção: a pandemia trouxe à luz como o mundo está interconectado tanto no nível empresarial quanto social. Os consumidores perceberam mais do que nunca que precisam apoiar marcas que fazem mais e melhor com menos. Menos insumos, menos lixo, menos impacto no meio ambiente.

Varejo-e-Sustentabilidade

A pandemia, junto com as mudanças sociais neste ano, exigiu esforços para aumentar a conscientização e tomar medidas para um varejo mais voltado para um propósito sustentável. É uma questão de sobrevivência e de reputação.

A sustentabilidade no varejo não é mais uma tendência a ser considerada na superfície das ações de negócios, mas deve ser colocada no centro e algumas grandes empresas já o fizeram.

Em 2017, por exemplo, a Johnson & Johnson se comprometeu a suprir 35% de suas necessidades de energia de fontes renováveis. Já nas metas de sustentabilidade da Coca-Cola para 2020, eles se comprometeram a recuperar pelo menos 75% das garrafas que introduzirem no mercado.

Por que investir no varejo sustentável?

Além de ser o correto, é também o que os consumidores desejam! Questões como mudança climática, excesso de resíduos e práticas de trabalho antiéticas são muito mais evidentes do que costumavam ser. Isso tem um efeito direto nos hábitos de compra. 

Um estudo de 2017 da Cone Communications mostra o quanto a sustentabilidade dita nossas decisões de compra. Eles descobriram que 87% dos consumidores comprariam produtos de empresas que defendem a responsabilidade social e ambiental. Ainda, 76% boicotariam empresas que se comportam de maneiras contrárias a esta.

Já de acordo com a Fortune, em novembro de 2019, 50% do crescimento das vendas entre bens de consumo entre 2013 e 2018 veio de produtos comercializados com sustentabilidade, apesar de tais bens representarem pouco menos de 17% do mercado.

A mudança dos hábitos de compra dos consumidores

Não é mais suficiente que os varejistas ofereçam um ótimo produto. As lojas podem ser mais que um alvo da fiscalização do governo. Agora também o público está pensando mais sobre a importância da sustentabilidade no varejo.

Os clientes não se importam em pagar um pouco mais, mas comprar de um vendedor sustentável. Em 2015, um relatório da Nielsen descobriu que 73% da geração Millennial estava disposta a pagar mais por produtos sustentáveis. 

Isso supera uma enorme barreira que há anos impede os varejistas de serem sustentáveis. Tudo o que eles precisam fazer agora é calcular o lado financeiro e obter um preço o mais próximo possível do seu produto, a fim de atrair compradores ecologicamente corretos.

Tudo isso também ocorre em um momento de crescente mudança social na forma como interagimos com as marcas. Já se foi o tempo em que uma empresa era uma corporação sem rosto. Hoje em dia, as pessoas querem se conectar com marcas que sentem que podem se relacionar. Isso não apenas enfatiza a importância da marca, mas também levanta questões sobre as mensagens ambientais, sociais e de governança das empresas.

Segundo a DoSomething, 75% dos entrevistados da Geração Z disseram que queriam ver se as marcas estavam garantindo a segurança dos funcionários e consumidores. A pesquisa descobriu que, “Se [as marcas] não forem autênticas, a Geração Z será a primeira a levantar uma bandeira vermelha”. 

Os consumidores mudaram o comportamento: com menos dinheiro, mais tempo e a percepção de que podem fazer mais com menos, os consumidores querem comprar de marcas que se alinham com seus valores, ambientais e sociais. 

Portanto, as marcas agora precisam provar que estão fazendo esforços ​​para serem mais sustentáveis. Neste contexto, os pequenos e médios varejistas buscam formas de reduzir seu impacto na natureza que sejam aderentes às suas operações. A notícia boa é que existem iniciativas fortes que são adaptáveis ​​a empresas de todos os tamanhos. Aqui estão algumas ideias para ajudá-lo a começar:

1. Seja sustentável nas práticas diárias do varejo

Existem várias ações que você pode realizar em suas operações do dia a dia para promover o varejo sustentável e ajudar a preservar o meio ambiente.

Comece optando por eletrodomésticos, iluminação e equipamentos que economizam energia. 

Você pode, por exemplo, trocar suas lâmpadas incandescentes tradicionais por opções de economia de energia, como iluminação LED. Você descobrirá que ela não apenas requer menos energia (o que, por sua vez, leva a menores emissões de efeito estufa), mas também economizará dinheiro no processo. 

Quer saber mais sobre energia renovável no varejo? Veja aqui! 

2. Minimize o uso de papel

Reduza a quantidade de papel que você usa em sua organização. Identifique tarefas ou processos que exijam caneta e papel e trabalhe para digitalizá-los. 

Digitalize seus procedimentos de gerenciamento de estoque. Se você ainda estiver realizando contagens de estoque usando caneta e papel, mude para um software de gestão que consiga automatizar esse processo, justamente com um coletor de dados

Outra ideia? Você também pode reduzir o uso de papel optando por recibos digitais. Pergunte aos clientes se eles preferem que os recibos sejam enviados a eles. 

Além da questão sustentável, o papel térmico utiliza o BPA, que é um componente extremamente tóxico, para ser impresso. Trazendo malefícios, também, à saúde humana. Doenças cardíacas, câncer de mama e de próstata, diabetes tipo 2, infertilidade e transtorno do déficit de atenção são só alguns dos muito efeitos possíveis pelo contato recorrente com a substância. 

3. Descarte o lixo de maneira adequada

Você também deve estar ciente de como descarta os resíduos em sua empresa. Um bom primeiro passo é minimizar o lixo optando por reutilizar itens sempre que possível ou doar coisas que não são mais necessárias em seu negócio. 

E se você precisar descartar algo, certifique-se de que você e sua equipe estão colocando o lixo nas lixeiras certas e sempre siga as diretrizes locais sobre reciclagem e compostagem.

Muita gente não sabe, mas o papel térmico não é reciclável, além de não poder ser descartado junto com materiais recicláveis, pois ele contamina tudo que entrar em contato.

Outra iniciativa bacana é se tornar um ponto de coleta de produtos de difícil reciclagem, como pilhas e baterias. Além de ajudar o meio ambiente, é mais um oportunidade para o cliente visitar sua loja

4. Mude para alternativas de embalagens sustentáveis

É provável que a embalagem seja uma despesa necessária para o seu negócio. Isso ocorre independentemente do seu tamanho e se você tem um varejo físico ou eletrônico. No entanto, muitos materiais de embalagem convencionais são extremamente prejudiciais ao meio ambiente. 

Portanto, embalagens ecológicas são algumas das evidências mais confiáveis ​​de uma perspectiva sustentável. 

Claro, uma meta de ’embalagem zero’ não é realista. As empresas precisam transportar mercadorias com eficiência e protegê-las contra danos. A embalagem também apresenta uma importante oportunidade de marca para as empresas.

Você pode começar a tomar decisões de embalagem mais ecologicamente corretas incorporando os ‘3 Rs’ – reduzir, reutilizar, reciclar!

Alguns supermercados, como o Verdemar de Belo Horizonte, não oferecem a sacola plástica, mas disponibilizam caixas para embalar os produtos e oferecem a opção do cliente comprar uma sacola reutilizável, que também é uma ótima forma de fazer propaganda da marca. 

Portanto, a embalagem sustentável não reduz apenas o seu impacto ambiental. É também uma maneira fantástica de diferenciar sua marca dos concorrentes!

5. Forneça produtos sustentáveis

Não é difícil! Destine ao menos um corredor da sua loja para esses produtos. Os consumidores querem saber de onde vem o produto, de qual fazenda vem o queijo, por exemplo. Escolha marcas que forneçam verdadeiramente um produto que se preocupe com o meio ambiente. 

Produtos com apelo sustentável estão entre os maiores crescimentos de vendas. Considere essa oportunidade para aumentar as vendas da sua loja!

6. Faça do varejo sustentável uma parte da história de sua marca

É importante divulgar seu envolvimento em iniciativas sustentáveis. É aqui que o marketing de conteúdo entra em ação. As mensagens em seus canais online desempenham um grande papel na transformação de seus esforços de sustentabilidade em uma parte central da identidade de sua marca. 

Este é um espaço para você responder às questões maiores sobre o que o levou, como varejista, a abraçar um modelo de negócio mais sustentável. Em sua essência, o marketing de conteúdo envolve contar histórias e focar no valor de longo prazo de seus esforços para os consumidores e para o meio ambiente.

7. Evite Greenwashing

Greenwashing, ou lavagem verde, é quando as empresas fazem afirmações enganosas sobre a sustentabilidade de seu modelo de negócios ou produtos. 

O correto é se preocupar de fato com o que está sendo realizado e certificar que a sustentabilidade esteja na estratégia e objetivo da empresa. 

Colocar a palavra “sustentável” em sua marca não vai funcionar, além de não ser ético. Quanto mais completo você puder ser com suas evidências, melhor.

Faça parte da solução 

A melhor parte de ser um negócio mais sustentável? Isso te torna parte da solução. A sustentabilidade se tornou uma proposta de valor poderosa para consumidores cada vez mais conscientes. Mostra que você está ciente das questões socioambientais que a sociedade enfrenta e deseja amenizar as formas de contribuir com ela como varejista. Essa é uma vitória para sua marca e para o planeta!

Gostou do artigo? Deixe um comentário com sua opinião.

Tem dúvidas ou sugestões? Fale conosco pelo  Fórum InfoVarejo!