InfoVarejo ACESSO RÁPIDO:
Tecnologia

O varejo e a computação na nuvem

Escrito por Dênio Santos | 03/11/2016
  • 524 visualizações
  • 136 compartilhamentos

A computação em nuvem, em inglês “cloud computing”, se refere a utilização de softwares diretamente pela internet, ou seja, sem a necessidade de instalação no computador local. São os Data Centers que hospedam e gerenciam essas aplicações provendo o serviço para os usuários.

O Varejo e a Computação na Nuvem

Se até então era uma tendência, hoje é, sem dúvida, uma realidade no varejo. Empresas já utilizam desta tecnologia para reduzir custos, melhorar a eficiência do negócio, reforçar a segurança de seus dados e aumentar as vendas.

O caso mais óbvio da computação na nuvem no varejo é o e-commerce, que sem as limitações de espaço para receber os clientes e armazenar estoques das lojas físicas, utilizam da elasticidade e da flexibilidade do mundo em nuvem para ampliar o seu raio de ação, sem limitações geográficas e de horário de atendimento. Um bom exemplo é o Black Friday de 2015, que movimentou R$ 1,5 bilhão no mundo digital em apenas 24 horas.

Há, entretanto, um mundo de oportunidades no uso da nuvem para o processamento dos sistemas de gestão. Falamos agora de todas as atividades que compõem o dia a dia do varejista, desde a compra e entrada de mercadoria, passando pelo estoque, o financeiro, a contabilidade, o faturamento, enfim, todas as rotinas que fazem a sua empresa “andar”.

Selecionamos 4 tópicos de como a computação em nuvem pode ajudar o seu negócio.

1. Redução de custo:

Utilizando a computação tradicional, você precisa adquirir equipamentos (hardware), licenças de softwares e possuir pessoal qualificado para manter essa infraestrutura funcionando.

Em relação a equipamentos, é necessário comprar uma máquina poderosa para suportar o pico do processamento, embora na maior parte do tempo ela venha a trabalhar com capacidade ociosa. Outro problema é a rapidez com que estes equipamentos se tornam ultrapassados e necessitam ser renovados.

Na computação em nuvem, a empresa “aluga” uma capacidade de hardware, pagando pelo recurso que utilizar, de acordo com a necessidade, normalmente sem contratos de fidelização. Não é necessário se preocupar com picos de demanda ou renovação dos equipamentos, pois a provedora da nuvem faz isso por você.

Outro fator ligado à redução de custos é que não há necessidade de contratação de especialistas para as funções ligadas à tecnologia, pois a maioria dos provedores de computação em nuvem possuem painéis de fácil acesso onde a criação de uma estrutura passa a ser uma tarefa simples.

2. Tecnologia de ponta:

Com a nuvem, independente do porte de sua empresa, você tem acesso ao melhor que existe em tecnologia. Os fornecedores deste tipo de serviços precisam estar na vanguarda tecnológica, devido à concorrência acirrada, que não deixa margem para as tecnologias obsoletas.

Podemos fazer um paralelo com a Fórmula 1, na qual toda tecnologia de ponta aplicada aos seus carros circularão nas ruas pelo mundo um tempo depois. Acontece o mesmo na computação em nuvem, pois você pode usufruir dessa vanguarda sem a necessidade de constantes atualizações em uma infraestrutura própria.

Para constatar um caso real, clique veja essa reportagem: Kingston lança HD SSD de entrada para servidores e data centers.

3. Segurança:

“Atualmente, vivemos em uma sociedade que se baseia em informações e que exibe uma crescente propensão para coletá-las e armazená-las permitindo às organizações aumentar a eficiência de suas operações (AURÉLIO, 2003).”

Incidentes acontecem, mas não na computação em nuvem. No caso de um incêndio, uma enchente ou uma falha na energia, os dados na computação em nuvem estão sempre preservados, pois são replicados em vários servidores distribuídos pelo mundo. No caso de algum destes servidores sair do ar, os sistemas e dados armazenados continuarão disponíveis de forma transparente para o usuário.

Na computação tradicional, mesmo que exista uma política para realização de backups, é comum essas cópias de segurança estarem incompletas ou defasadas e, na maioria dos casos, leva-se muito tempo para se conseguir voltar à operação normal. Um verdadeiro pesadelo para qualquer negócio.

A segurança das informações está na distribuição geográfica dos Data Centers, pois os dados podem estar no Brasil e serem replicados para os Estados Unidos e a China, por exemplo.

Gostou do assunto? Veja aqui a infraestrutura global da AWS (Amazon web services):

4. Mobilidade:

Outra grande vantagem da computação em nuvem em relação a computação tradicional é a mobilidade. Se a aplicação que você deseja acessar estiver na nuvem, você pode acessá-la de qualquer lugar, de maneira simples e fácil. Dessa forma, um software de gestão nas nuvens permite realizar uma série de tarefas como consultas de relatórios, verificação de disponibilidade de produtos, vendas em tempo real, comparação de preços em concorrentes, dentre inúmeras outras, de qualquer lugar que possua acesso à internet.

Vale ainda ressaltar que o acesso aos seus sistemas não está restrito ao uso de um computador, já que um tablet, ou até mesmo um celular, cumprem essa função.

Software em nuvem como uma evolução

Um software que utiliza a computação em nuvem deve ser visto como uma evolução que traz produtividade e segurança. É um investimento que proporcionará à sua empresa redução de custos, com tecnologia de ponta e mobilidade. O futuro é esse, prosperidade para o seu negócio com qualidade, velocidade e simplicidade!

Veja esse caso de sucesso do varejo de Belo Horizonte clicando aqui.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos varejistas.

Ficou com alguma dúvida sobre o varejo e a computação na nuvem? Escreva para contato@infovarejo.com.br

 

Patrocinado: