fbpx
Gestão

Sustentabilidade no varejo, qual a importância? 

Escrito por Equipe InfoVarejo | 14/09/2023
  • 811 visualizações
  • 182 compartilhamentos
Tempo de leitura: 4 minutos

Não é segredo que a sustentabilidade já é uma das principais prioridades do varejo e das marcas.

Sustentabilidade no varejo qual a importância 740x360

O peso que adquiriu nas decisões de compra dos consumidores é esmagador e, mais importante, crescerá exponencialmente no futuro. À medida que os consumidores exigem um maior compromisso por parte das marcas, os varejistas precisam repensar toda a cadeia de valor e adotar iniciativas para cumprir objetivos de sustentabilidade. 

Pilares verdes no mundo do varejo

De acordo com um estudo da Oney e da OpinionWay, o comportamento ético e sustentável das marcas e dos varejistas desempenha um papel fundamental no processo de decisão de compra e nas expectativas dos consumidores. Assim, 9 em cada 10 consumidores querem mais comprometimento das marcas para poderem consumir melhor.

Muito mais exigentes, as decisões de compra, especialmente entre os millennials e a geração Z, já não dependem apenas da quantidade e qualidade do produto ou serviço, mas também de aspectos relacionados com a sustentabilidade e a ética.

Esta é a era do varejo verde: uma forma de transformar os pontos de venda tradicionais (ou criar novos), tendo em conta o pilar fundamental de ser amigo e respeitoso com o planeta. 

Esta mudança de paradigma oferece produtos e processos mais sustentáveis ​​sob a premissa de zero resíduos ou emissões de dióxido de carbono, e implica repensar toda a cadeia de valor, desde o sistema de produção, método de distribuição, gasto energético, à divulgação de ofertas e promoções, etc.

Como estão reagindo os modelos de negócios de varejo? 

Uma das principais apostas é a digitalização consciente. Muitas marcas e varejistas estão mudando a forma como divulgam as suas promoções para alternativas digitais, com maior rastreabilidade e menor impacto ambiental.

Outra medida básica é a segunda vida dos produtos e a reciclagem. A começar pela indústria têxtil, que é uma das indústrias mais poluentes, bem como um setor tecnológico em que o recondicionamento de produtos contribui para a redução do desperdício tecnológico.

Transformar modelos de negócios, minimizando o impacto, também passa por novas formas de comprar. Existe uma tendência clara para um consumo ecologicamente responsável, o que é, em última análise, uma vantagem competitiva. 

Como isso pode ser alcançado? 

Oferecendo ao cliente uma oferta mais comprometida com o ambiente, reduzindo o consumo de energia na loja, melhorando os processos de fabricação e distribuição, utilizando materiais reutilizáveis, diminuindo o consumo de papel. 

De acordo com os dados mais recentes da Sensormatic Solutions, os consumidores não mudaram nem um pouco no compromisso com a sustentabilidade, apesar da pressão do aumento do custo de vida. Isto significa que a procura de varejo verde cresce apesar do aumento da inflação nos últimos anos e da queda do poder de compra.

A análise também indica que somos mais “elásticos em termos de preços” quando se trata de produtos sustentáveis ​​e que as práticas de varejo verdes continuam a impulsionar a fidelização dos clientes. Tanto é assim que 3 em cada 4 consumidores afirmam estar dispostos a pagar pelo menos 5% mais por produtos sustentáveis. Além disso, 40% afirmam que o abastecimento local que reduza as emissões da cadeia de abastecimento criaria lealdade, e 27% afirmam que opções de entrega sustentáveis ​​os encorajariam a comprar mais regularmente de uma marca. Por último, 60% gostaria que os varejistas reduzissem mais os resíduos, incluindo os resíduos de embalagens.

Como ser um varejista mais sustentável?

Esta é a pergunta de um milhão de reais para muitas marcas e empresas do setor. As “práticas sustentáveis” são um mundo inteiro em termos da dificuldade ou dificuldade de implementação, dos custos que podem implicar, da rentabilidade ou eficácia da sua implementação, e assim por diante. 

Mas é verdade que existem inúmeras ações que os varejistas podem tomar aqui e agora para começarem a tornar-se mais sustentáveis. Começando pela utilização de embalagens alternativas, participação em programas de reciclagem, troca do cupom fiscal físico pelo Cupom Verde etc. 

Mas há muito mais que pode ser feito pelos varejistas na luta contra as alterações climáticas, o desperdício excessivo, as condições de trabalho negligentes, etc., para alcançar um comércio varejista ambientalmente sustentável:

Equipamentos, luzes e eletrodomésticos energeticamente eficientes

Esta é a base de tudo, pela sua simplicidade e pela poupança direta que proporciona. Substituir lâmpadas e luminárias tradicionais por LEDs ou lâmpadas fluorescentes compactas é obrigatório.

Papel, cada vez menos

A digitalização do negócio passa também, embora pareça óbvio, por minimizar a utilização de papel, optando por recibos, faturas digitais, como o Cupom Verde, por exemplo.

Melhorar a gestão de resíduos

Os consumidores em todo o mundo estão cada vez mais atentos à forma como as empresas e marcas eliminam os resíduos. E, claro, como e em que medida reciclam.

Embalagens ecológicas

A luta para reduzir o impacto ambiental também começa com materiais, recipientes e embalagens. É também uma das melhores oportunidades de branding.

Faça do mundo um lugar melhor para os seus clientes

não se trata mais apenas do que você faz como varejista, mas do que você permite que seus clientes façam para reduzir seu impacto. Os consumidores querem saber se estão reduzindo a sua pegada de carbono nas suas decisões de compra. Para tal, é crucial informá-los sobre as suas políticas de sustentabilidade, como devem mudar os seus hábitos de consumo e por que razão você os está auxiliando a serem mais amigos do ambiente. Não é de surpreender que, de acordo com a revista Forbes, 88% dos consumidores desejam que as marcas os ajudem a reduzir a sua pegada de carbono.

 Gostou do artigo? Deixe um comentário com sua opinião.