InfoVarejo ACESSO RÁPIDO:
Gestão

Capital de giro, a importância para o varejo

Escrito por Gabriel Junqueira | 21/06/2019
  • 675 visualizações
  • 70 compartilhamentos

Você sabe o que é capital de giro? No seu supermercado, você faz o planejamento do capital de giro? E como calcular, você sabe o que precisa ser analisado na hora de fazer o cálculo do capital de giro?

capital-de-giro-jpg

No artigo, você verá o conceito de capital de giro, dicas para fazer o planejamento e como fazer o seu cálculo.

Planejamento financeiro

Antes de iniciarmos as explicações referentes ao capital de giro, falaremos um pouco sobre planejamento financeiro. Decerto, você quer ter uma boa gestão do seu negócio, para isso, você precisa ter um controle financeiro da empresa. Gestão das finanças é um processo essencial e crucial para que você evite prejuízos e mantenha bons resultados.

Do planejamento ao realizar os pedidos das compras, bem como na conferência das vendas, em todos os processos do mercado, a gestão financeira está presente. Assim, o controle financeiro é um dos fatores que mais garante a saúde das operações do seu negócio. Isso porque, a empresa precisa de dinheiro para sobreviver. Em suma, este é justamente o objeto da gestão financeira, controlar todo o dinheiro que entra e sai da empresa.

Dessa forma, entendemos que controle do capital de giro é um dos processos mais importantes e o que, portanto, vai definir todas as etapas do negócio.

Mas o que é capital de giro?

Capital de giro

Em todo comércio varejista você precisa fazer compras com fornecedores, certo? Depois de fazer o pedido, você precisa pagar, ao menos uma parte da compra. Grande parte dessas mercadorias não serão vendidas no momento que forem postas nas prateleiras e muitas ficarão no estoque, correto?

Para que você pague os produtos para os fornecedores, antes que eles sejam vendidos, você precisa ter um dinheiro. Esse dinheiro se chama capital de giro.

Capital de giro é uma reserva de recursos, como se fosse um banco. É do capital de giro que você pegará dinheiro emprestado até que os pagamentos sejam feitos. É o dinheiro do capital de giro que manterá sua empresa em funcionamento.

Os recursos que ficam no estoque, nas contas a receber, no caixa e no banco, todos esses investimentos, devem ser supridos pelo capital de giro. Quando o capital de giro está sendo utilizado, utiliza-se a expressão “capital em giro”.

Resumindo, o capital de giro é o responsável por:

  • Manter os estoques;
  • Assegurar o pagamento aos fornecedores, os salários, impostos e as demais despesas e custos operacionais;
  • Compra de matéria-prima;
  • Financiamento aos clientes (vendas à prazo).

Dinheiro em caixa + (Estoque, contas a receber e aplicações) – (Fornecedores, empréstimos, salários e duplicatas a pagar) = Capital de Giro

Para que você tenha um controle sobre o capital de giro da sua empresa é importante que você siga alguns passos:

  1. Tenha muita disciplina;
  2. Identifique e corte gastos;
  3. Antecipe pagamentos a receber – cuidado com os juros;
  4. Saiba negociar prazo com fornecedores.

Fatores que levam à diminuição do capital de giro

Muitos empresários não dão atenção necessária ao capital de giro. O capital de giro não pode ser negligenciado!

O Sebrae de São Paulo realizou uma pesquisa e concluiu que 27% das novas empresas fecham já no primeiro ano e 50% encerram nos quatro primeiros anos. Além disso, metade das principais causas de falência estão relacionadas ao comprometimento da saúde financeira da empresa.

O que acontece é que muitos varejistas não sabem o que é capital de giro ou simplesmente pensa que é algo secundário na gestão do negócio. A falta ou inadequação do capital de giro traz algumas consequências negativas ao varejista.

Assim, a falta de recursos financeiros nos momentos mais cruciais, a quitação de pendências e problemas com pagamentos se tornam constantes. Essas falhas fazem com que os varejistas necessitem de empréstimos ou, até mesmo, decretem falência.

Dentre os fatores que levam à diminuição do capital de giro estão a falta de planejamento do varejista, a redução das vendas no varejo, o aumento das despesas financeiras e o aumento de custos que, dessa forma, gera o crescimento da inadimplência.

Como calcular o capital de giro?

Ao calcular o capital de giro da sua loja, você deve ter alguns conceitos bem definidos.

O primeiro é o de passivo circulante. Passivo circulante são as despesas fixas e previsíveis da sua empresa. Dentro do Passivo circulante estão os gastos com as contas a pagar, os empréstimos, os fornecedores, o aluguel, salários dos funcionários, e encargos trabalhistas.

O segundo conceito é o de ativo circulante. Ativo circulante são os recursos disponíveis ou que possam ser convertidos em liquidez. Assim, o ativo circulante engloba as aplicações financeiras, as contas a receber e o valor em contas bancárias. Decerto, o capital de giro líquido melhora a capacidade da empresa em investir e cumprir compromissos.

O capital de giro líquido (CGL) é calculado com base na subtração do passivo circulante (PC) do ativo circulante (AC):

AC – PC = CGL

Necessidade de capital de giro (NCG)

Agora, que já apresentamos o que é o capital de giro, vamos passar para o conceito mais importante e que pode mudar sua visão financeira do seu negócio: a necessidade de capital de giro.

A NCG é o valor que sua loja precisará ter para conseguir cumprir todas as obrigações dentro do mês. Entretanto, você também deve contar com os recebimentos. Desse modo, podemos entender o capital de giro como o dinheiro necessário na conta bancária para operar sua empresa durante o mês.

De uma forma simples para visualizar, se sua empresa compra 1.000 reais à vista em mercadorias no dia 5 e as vende à vista no dia 10, sua necessidade de capital de giro é 1.000 reais. Por que? Você precisará ter 1.000 reais na sua conta para que consiga girar o negócio. Entende?

A complexidade reside no fato das contas a receber e  pagar serem inúmeras e terem comportamentos diferentes, isto é, prazos. Imagine um supermercado que tenha obrigações como folha de pagamento, aluguel, além dos pagamentos a fornecedores em diversas datas. Agora, pense que ele recebe vendas a vista, a prazo no cartão de débito e no cartão de crédito. Ou seja, vendas com prazos distintos de recebimento.

Portanto, na prática, fica complicado saber exatamente quanto sua loja precisa ter em caixa para passar o mês, sem ter que pedir empréstimos. Evite, ao máximo, recorrer aos empréstimos. Essa medida não é aconselhável, uma vez que o custo (juros) é alto. Além disso, a margem é apertada, logo, ao pedir empréstimos, você estará sacrificando, também, a margem da sua loja.

Como calcular a Necessidade do Capital de Giro?

Necessidade do Capital de Giro é a representação dos valores necessários para que não falte capital de giro na empresa. Entende-se que NCG é o valor mínimo que sua empresa deve ter para que seus processos continuem funcionando.

Calcular a NCG é bem fácil! Considere o total de contas a pagar, e a receber, o estoque, o dinheiro disponível em caixa e nos bancos e os empréstimos. Desse modo, tem-se a fórmula:

NCG = contas a receber + estoque – contas a pagar

O papel do setor de compras na NCG

Dessa maneira, o setor de compras tem um papel fundamental na NCG. Primeiramente, os compradores são os responsáveis por negociar os prazos de pagamento com os fornecedores. Isso influenciará diretamente na sua NCG. Segundo, o volume de compras dos produtos, mantendo um estoque mínimo necessário, exigirá menos esforço de capital, favorecendo seu NCG.

Por que saber a NCG da sua loja é tão importante?

Por várias razões, uma delas é que dinheiro parado na conta do banco é prejuízo. Isso mesmo! Negociar com fornecedores uma compra à vista, normalmente rende bons descontos. Além disso, esse valor é muito maior do que o rendimento da conta corrente da sua loja. Ou seja, se seu gestor financeiro sabe que aquele dinheiro está “sobrando” ele pode destiná-lo a adiantar um fornecedor que lhe conceda um bom desconto.

Outra razão, é que ao ter a visão de planejamento financeiro da sua loja, você conseguirá gerir melhor os prazos de pagamento e de recebimento. Assim, você conseguirá estabelecer metas para toda a empresa em termos de prazos e estoque máximo aceitável.

Qual seria uma NCG ideal para minha loja?

A NCG ideal é uma NCG negativa! Isto é, que o negócio não tenha NCG, mas sim, que ele gere capital de giro. Mas como?

É simples, basta sua loja pagar em prazos maiores e receber em prazos menores. Digamos que a média de pagamento de fornecedores seja de 45 dias, giro do estoque 15 dias e média de recebimento 10 dias. Dessa forma, você terá 20 dias de prazo, no qual terá esse dinheiro disponível na sua conta.

Imagine o poder desse mecanismo para a expansão da sua loja, por exemplo. Ao planejar uma nova filial, um dos custos é o capital de giro necessário para operar sua loja. No entanto, agora que seu negócio gera capital, o investimento necessário para abrir uma nova loja é muito menor. Dessa forma, você pode abrir mais lojas cada vez mais rápido.

Conclusão

Antigamente, as vendas, em sua maioria, eram pagas à vista. Hoje, cerca de 53% dos brasileiros fazem compra com o cartão de crédito. Em síntese, ao fazer uma venda em cartão de crédito, você só receberá o pagamento da compra em 28 dias, isso atrapalha, e muito, o fluxo de recebimento.

Fique atento para não cair no ciclo vicioso do fracasso no varejo! Se você deixa de receber e não possui um capital de giro, não conseguirá pagar o fornecedor. Todavia, o fornecedor, que antes te dava um prazo para fazer o pagamento, passa a não fazê-lo mais. A necessidade de se ter um capital de giro aumenta, mas já é muito tarde para começar o processo. Essa é a receita básica para decretar falência!

Quando falamos de capital de giro, estamos falando do básico. Sem dúvida, gestão financeira é fundamental para seu negócio. Esteja sempre atento ao seu fluxo de caixa, ao controle de pagamentos e recebimentos. Portanto, veja com seus fornecedores a melhor forma de pagamento, o desconto à vista é melhor do que comprar à prazo?

Ferramentas que conciliam cartões também podem ser de grande ajuda. Então, um software de gestão que automatize esse processo, que controle melhor o fluxo de caixa e que te dê a certeza do recebimento, é fundamental para a saúde financeira do seu negócio.

Na sua empresa, você já passou por uma situação onde precisava e não tinha capital de giro?

O seu setor financeiro é responsável pelo capital de giro?

Como falamos a gestão é fundamental para o controle financeiro da empresa. Baixe gratuitamente nosso e-book sobre esse processo e saiba exatamente como funciona sistema de gestão no varejo.

Gostou desse artigo? Deixe sua opinião nos comentários.

Publicidade