InfoVarejo ACESSO RÁPIDO:
Legislação

Fim do emissor gratuito de NF-e. E agora?

Escrito por Alcides Junqueira | 25/07/2016
  • 246 visualizações
  • 106 compartilhamentos

Após a divulgação da notícia do fim do emissor gratuito de NF-e da SEFAZ-SP, as empresas que utilizavam essa ferramenta para envio dos documentos eletrônicos se viram diante da dificuldade de encontrar outra solução que atenda ao seu negócio.

Fim do emissor gratuito de NF-e. E agora?
Uma pesquisa feita pela SEFAZ apontou que a maioria das empresas utiliza outros emissores, mais completos e integrados com softwares de gestão, o que motivou a Secretaria da Fazenda por descontinuar o sistema. Embora a notícia indique que apenas 7,8% das notas emitidas são feitas pelo software gratuito, certamente que a quantidade de emitentes que a utilizam é bem maior.

A notícia pegou muitos contribuintes e contadores de surpresa, já que a emissão das notas fiscais eletrônicas é obrigatória para a maioria das empresas e o serviço não pode ser interrompido. O fato é que todos que utilizam o emissor gratuito têm até o final de 2016 para passarem a utilizar outras soluções. Com o objetivo de cumprir as obrigações fiscais, conforme instruído pela própria SEFAZ, há a recomendação de se antecipar à data limite, pois eventuais alterações da legislação, após 1º de janeiro de 2017, não serão mais implementadas.

O Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel assinou o decreto que determina só ser possível a emissão de nota fiscal eletrônica do estado por meio de softwares adquiridos ou criados por contribuintes, impossibilitando o uso de softwares gratuitos. Veja mais sobre isso nesse artigo.

Limitações do emissor gratuito de NF-e

A utilização do emissor gratuito da Sefaz-SP se dá de duas formas: manualmente, com a informação campo a campo pelo usuário; ou através da importação de um arquivo texto. A posterior conversão em XML e a efetiva transmissão a SEFAZ complementam a funcionalidade do aplicativo emissor da NF-e. Devemos observar que esse emissor gratuito apenas supre a obrigatoriedade para com o fisco, sem nenhum tipo de controle sobre esses documentos após o envio, pois esse emissor não está integrado a um software de gestão.

E agora?

Para essa migração, o primeiro passo é identificar uma software house especializada que atenda às suas necessidades, desde a simples emissão da NF-e até a integração com um bom software de gestão, o que garante o aproveitamento de todas as informações geradas. Um emissor de NF-e deve possibilitar a automatização de vários processos, dentre eles o de impressão da DANFE e o envio de e-mail ao destinatário.

A interação humana no processo de emissão de NF-e é reduzida substancialmente, com agilidade e simplificação de processos, um verdadeiro aumento de produtividade. Uma solução online (hospedado em “nuvens“) é o ideal, pois além de ser acessada de qualquer lugar, potencializa o uso da conexão de internet de sua empresa com o ganho em segurança, já que você não precisará de se preocupar com a guarda de seus dados pelos 5 anos exigidos pela legislação.

Aproveite a mudança e incorpore novos processos ao dia a dia da sua empresa. Esse é um grande desafio para a evolução do seu negócio!

Gostaria de saber de algo que ainda não encontrou no InfoVarejo? Nos envie um e-mail.

Patrocinado: