fbpx
Softwares

Qual a diferença entre software hospedado e nativo em nuvem?

Escrito por Rafael Coutinho | 12/09/2022
  • 1529 visualizações
  • 387 compartilhamentos
Tempo de leitura: 4 minutos

À medida que mais empresas modernizam suas ferramentas de software, a nuvem está definindo um novo padrão. Há, no entanto, uma discussão em andamento sobre a melhor forma de aproveitar a nuvem.

Qual a diferença entre software hospedado e nativo em nuvem

Em um campo está o software nativo da nuvem: soluções construídas desde o início no ambiente e contexto da nuvem. No outro campo está o hospedado em nuvem: onde um terceiro hospeda aplicativos da empresa em servidores dedicados.

O que é nuvem?

Nuvem se refere à infraestrutura computacional que está fora das dependências da empresa, ou seja, data centers contratados para operar os softwares e armazenar os dados da loja. Duas das principais vantagens é não precisar investir na compra e atualização de caros equipamentos, garantindo sempre uma boa performance, e contar com uma infraestrutura mais segura com backups automáticos.

Mas qual é a diferença entre o software hospedado na nuvem e o nativo em nuvem?

Hospedado em Nuvem

O software hospedado na nuvem é geralmente associado à infraestrutura como serviço, é a mesma coisa que ter seu próprio data center. A diferença é que você está executando no hardware virtual do provedor de nuvem, e não no seu próprio. É puramente uma jogada de infraestrutura, uma maneira de simplificar e acelerar o provisionamento de novo hardware. 

No software hospedado em nuvem sempre que uma atualização for necessária, o fornecedor do software, que agora está hospedado na nuvem, precisa mexer manualmente nos sistemas que se aplicam apenas a você, prolongando o ciclo de atualização e manutenção. Se você não tomar cuidado, com o software hospedado em nuvem fará muita coisa manualmente, assim como fez com seu antigo data center.

O mesmo se aplica para aumentar ou diminuir a escala, ou para uma recuperação de desastres, afetando a agilidade dos negócios e os custos. As soluções hospedadas na nuvem precisam de investimento contínuo em infraestrutura, manutenção e recursos, similar ao contexto de infraestrutura interna. 

Além da questão da falta de escalabilidade das soluções somente hospedadas na nuvem, o desafio de integração com aplicativos de terceiros continua existindo, uma vez que não são sistemas construídos preparados para integrações, diferente dos que já nascem orientados a APIs e as tornam abertas.

Observa-se que as vantagens da hospedagem em nuvem de softwares legados tem vantagens limitadas, basicamente ao invés do servidor estar nas dependências da loja, ele passa a estar presente em uma infraestrutura de terceiros. Torna-se, portanto, uma decisão financeira e pouco técnica, comparando-se o investimento em equipamentos próprios vs. contratação do serviço de data center.

Nativo em Nuvem

O software nativo em nuvem é projetado, desenvolvido e implantado especificamente para ambientes em nuvem. A adoção é amplamente impulsionada por vários fatores – custo, escalabilidade, mobilidade, integrabilidade, flexibilidade – com benefícios que vão desde a verdadeira agilidade até o financeiro. 

Os aplicativos nativos da nuvem são multilocatários, em que uma única instância do software atende a vários clientes. Uma arquitetura compartilhada de computação, armazenamento e rede permite grandes economias de escala e escopo, gerando elasticidade instantânea sem necessidade de novos investimentos. 

Algumas empresas ficam em dúvida em relação à segurança de um software nativo em nuvem, mas, ao contrário do que você pode imaginar, o software nativo em nuvem é mais seguro do que o hospedado em nuvem. As grandes empresas, fornecedoras de softwares e infraestruturas para a nuvem, dedicam dinheiro e recursos para acompanhar as mudanças no ambiente regulatório. 

Além disso, os servidores estão localizados em depósitos aos quais a maioria dos funcionários não tem acesso, os dados da sua empresa contam com firewalls para ajudar a proteger seus arquivos e a maioria dos maiores provedores de nuvem pratica redundância. Isso significa que eles copiam seus dados várias vezes e os armazenam em vários data centers diferentes. Dessa forma, se um servidor cair, você acessa seus arquivos de um servidor de backup sem nem mesmo perceber.  Além disso, se ocorrer um incêndio ou inundação, a interrupção é mínima ou nula, garantindo a continuidade dos negócios.

Com o software nativo em nuvem você também aproveita o melhor da mobilidade, já que o acesso é via browser e independe do sistema operacional. Ou seja, você pode acessar todos os dados do seu sistema de onde estiver, basta ter acesso à internet e utilizar seu celular, tablet, notebook, Android, Linux ou IOS.

As integrações também são outra vantagem do software nativo em nuvem, ele conta com uma arquitetura orientada a serviços (SOA – Service-oriented architecture), que em termos práticos, significa que o software é construído de forma modularizada e em pequenos blocos de funções. Isso significa que o software pode ser visto como um conjunto de funções integradas entre si – e integráveis com o mundo externo. 

Resumindo, o sistema já nasceu com uma filosofia de integração, diferente dos tradicionais sistemas ERPs monolíticos e engessados. Então coloque na lista de avaliação se o sistema foi construído orientado a APIs. É um avanço.

Para os gestores de hoje, com a concorrência aumentando e as margens diminuindo, eficiência operacional, mobilidade e performance se tornam diferenciais. 

Mesmo com tantos benefícios do software nativo em nuvem, por que ainda existem soluções hospedados na nuvem?

A resposta é simples, o software nativo em nuvem precisa ser desenvolvido do zero. Projetar e desenvolver um novo sistema requer alto nível de investimento por parte da fornecedora de software, sendo necessária uma equipe altamente qualificada com  competência técnica, pensamento inovador e experiência nas regras de negócios do varejo. É uma mudança profunda não apenas no produto, mas também na organização, exige, portanto, um esforço que nem toda software house está preparada para fazer.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus contatos e ajude a levar informações para todos no varejo.

Publicidade